18 março 2010

Levados pela mão

image

Há sempre alguém que decide por nós, enquanto crianças porque vivemos num mundo de ilusões, já adolescentes porque somos rebeldes e idealistas, quando iniciamos a vida activa porque somos inexperientes, no auge das nossas vidas porque vivemos o jogo das interdependências, no ocaso porque ficámos ultrapassados, nos tempos do fim porque perdemos a força.

Vivemos numa alegre sensação de independência e na ideia piedosa de que controlamos as nossas próprias vidas, qualquer campanha publicitária se funda nestes valores, amainamos os impulsos e acabamos por viver a vida dos outros, ora resignados pela realidade das coisas, ora revoltados mas contidos.

Felizes os loucos que nos levam pela mão.

6 comentários:

Fenix disse...

É uma grande verdade, esta de nos "tentarem" levar pela mão! Contudo, já que em todos os estágios vitais, há sempre quem nos leve pela mão, concluiremos que os que em determinada fase, "pensam" levar-nos pela mão, também eles estão a ser simultâneamente levados por outros, e nós próprios levaremos outros, numa cadeia infinita...por enquanto! E eu não lhe chamaria loucura, mas sim "cadeia-fraterno-solidária"! :))

Ferreira-Pinto disse...

A lógica defendida pela Fenix faz sentido, porquanto no encadeamento que é feito pelo PQ há esse elo sempre presente: quem conduz é, por sua vez, conduzido!

Preocupante é que séculos de pensadores e valores de comunidade, aparentemente estejam a ceder ao maniqueísmo e ao cultivo do indivíduo como ilha, instilando tudo e todos a ideia que o EU de cada um é supremo, um quase Rei-Sol a quem tudo e todos devem vergar-se!
E encadeados por essa ilusão caminhamdos pensando ser os maiores da Cantareira, quando na verdade somos como marionetas nas mãos de outrém!

Eduardo Miguel Pereira disse...

E quando se dá o caso, de alguém ser de tal forma independente, ou de pelo menos lutar mais por essa independência do que é normal (e aqui o normal é ditado por aqueles que aceitam sem reclamar que lhe dêem a mão), passa-se a ser visto como desajustado, ou até mesmo, em casos extremos, como gente desiquilibrada.
Quando na realidade, a grande maioria, aqueles que precisam que lhe dêem a mão, esses sim, esses é que se um dia ficam sem mãos que os agarrem caiem, por falta de "equilibrio".

António de Almeida disse...

Falando em levarem-nos pela mão vem-me logo à ideia o meu sócio maioritário, o querido Estado com a sua atitude paternalista, indicando-nos o caminho a seguir. Em segundo lugar a sociedade com a ditadura do politicamente correcto. Apenas em 3º surgem as tendências, ditadas pelos grandes interesses económicos. Logo eu que gosto tão pouco de rebanhos...

Ferreira-Pinto disse...

Gostei do pormenor do Rato Mickey ser levado pela mão por Cristo e Lenine!

PQ disse...

Nem Lenin nem Cristo conseguiram mudar a natureza humana, somos predadores e estamos no topo da escala trófica, isso dá-nos vantagens mas também nos promete violências.