17 março 2010

Rolha igual a Liberdade?

Cá o Ferreira-Pinto acha que as sotainas se querem fora da política, e os políticos sem dar grandes aberturas às mesmas; a César o que é de César ... Pois para os lados da Areosa, Viana do Castelo, o pároco local, que até tinha nome na toponímia e tudo, resolveu apelar ao voto no PS lá para a freguesia. Azar dos azares, ganhou o PSD. Certamente por coincidência e não por retaliação, logo os seus eleitos resolveram mudar o nome do Largo Padre Manuel Correia Quintas. Por acaso, escolheram … Largo da Liberdade. Podia ser Largo da Rolha, mas foi da Liberdade!

24 comentários:

Rosa disse...

Os párocos ainda hoje têm, nalguns meios, um papel relativamente activo na política local.
Enquanto cidadãos penso que não devem estar inibidos de participar. Aliás, a Igreja é uma instituição com grande preponderência na sociedade e com uma palavra a dizer em muitos domínios.
Nem sempre o faz da maneira mais correcta, é certo mas isso é outra
questão.
No caso dos apelos ao voto, acho que aí já é ir além do que é exigível no seu papel social. Apelar a que os cidadãos vão votar, é uma coisa; dizer para votar neste ou naquele, outra bem diversa. Aliás, quantas vezes isso não é feito em clara violação da lei eleitoral?
Neste caso, andou mal o pároco e andaram mal os eleitos do PSD.

Fenix disse...

Se os padres querem fazer política, pois que implementem o cristianismo e não o catolicismo, pois o cristianismo se "praticado", é a base de toda a boa convivência humana, que se sintetiza no "Trata os outros como queres ser tratado"! Se eles o praticassem e influenciassem toda a paróquia nesse sentido, teríamos um mundo muito melhor!

Ferreira-Pinto disse...

Pois andaram e ambos, Rosa; o senhor pároco porque as questões de apropriação de terrenos do domínio público e de limites de freguesia não se dirimem na paróquia ... e ele como interessado também pode despoletar o competente processo crime se, por exemplo, tiver existido alteração e remoção de marcos.

Os do PSD, assim como quaisquer outros, porque agir por vingança é coisa feia.

Ferreira-Pinto disse...

Pois, Fenix, mas como é sabido os representantes de Deus na Terra sempre cuidaram de meter a colher na política sem quererem nela participar directamente.
Gostam mais de mandar semear para depois colher!

Para que Serve? disse...

Estimado,
É um prazer contactá-lo e em primeiro lugar elogiar pelo bom blog que expõe a todos nós, leitores.
Envio este coment para anunciar a abertura de um novo blog, o "Macaquinhos no Sótão". http://osmacacosdosotao.blogspot.com/
Um blog pensado há muito, mas que só agora decidi abrir.
Gostaria muito de contar com a sua ajuda na promoção deste blog, colocando o link se possivel.
Como é claro, retribuirei sem piscar os olhos em colocar o seu link na minha página!
Espero uma resposta sua.

Tite disse...

Não me parece curial que se misture religião com política mas, se lhes adicionarmos o futebol, estão encontrados os ingredientes mais apetitosos para todos os que ambicionam chegar ao... Poder.

Pura miragem pois quem detém mesmo o Poder é quem detém o capital e faz dele o chamariz dos ambiciosos que se prestam, como testas de ferro, a tudo por 30 dinheiros.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Ó meuxxx amigoxxx, hummm, não habia nexexidade !!!
O padreco é bom home, e lá porque apela ao boto, huuumm , não habia nexexidadeeee !

Ferreira-Pinto disse...

Meu caro para que serve primeiro irei avaliar da justeza do pedido ... se não se importar!

Ferreira-Pinto disse...

São bem tortuosos esses caminhos que conduzem ao palanque Tite, mas há sempre quem os queira percorrer e não desdém de um empurrão ... clerical ou futebolístico!

Ferreira-Pinto disse...

Poizzzz, Eduardo, mas lá saiu a placa, ah pois é, qu' isto afinal não é só quem se mete com o PS que leva! :)))

Eduardo Miguel Pereira disse...

Eu passo todos os dias uma ponte que se chama Ponte 25 de Abril, mas nem sempre foi esse o seu nome ...

Ferreira-Pinto disse...

E eu não sei, Eduardo?
Se queres que te diga, acho uma estupidez pegada que se ande a mudar a toponímia ao sabor de ventos da História ou vinganças mesquinhas.

Vai-se a ver, e falam, falam mas são todos farinha do mesmo saco!

Fada do Bosque disse...

Ora toma lá o Segredo da lei da rolha! ahahahhhaahahahhahahahahhah.
E viva os do PS especialmente aqueles que atacam os outros e fazem o mesmo!
ahahahhahahahaha os socialistas são uns cromos!

Fada do Bosque disse...

Especialmente o Santos Silva!!!
E já agora o Assis!! ahahhhahahhaha

Ferreira-Pinto disse...

Em defesa socialista, FADA, os Estatutos do PS não têm assim bem a mesma coisa ... mas quanto à palhaçada, já sabes o que penso que já o escrevi.

Ferreira-Pinto disse...

Os Estatutos do PS prevêm, FADA no seu artigo 94º sob a designação de sanções disciplinares, o seguinte:

"1 - Os membros do Partido estão sujeitos à disciplina partidária, podendo ser-lhes aplicadas as seguintes sanções:

a)Advertência;
b)Censura;
c)Suspensão até um ano;
d)Expulsão.

2 - Três advertências equivalem automaticamente a uma pena de suspensão de três meses.
3 - A Comissão Nacional de Jurisdição pode converter em pena de expulsão a terceira ou subsequentes penas de suspensão, para o que o processo lhe é obrigatoriamente remetido com os necessários elementos de instrução.
4 - Fora do caso previsto no número anterior, a pena de expulsão só pode ser aplicada por falta grave, nomeadamente o desrespeito aos princípios programáticos e à linha política do Partido, a inobservância dos Estatutos e Regulamentos e das decisões dos seus órgãos, a violação de compromissos assumidos e em geral a conduta que acarrete sério prejuízo ao prestígio e ao bom nome do Partido.
5 - Considera-se igualmente falta grave a que consiste em integrar ou apoiar expressamente listas contrárias à orientação definida pelos órgãos competentes do Partido, inclusivé nos actos eleitorais em que o PS não se faça representar.


Já os Estatutos do PSD prevêm no
Artigo 9º sob o título de
Sanções, o que segue:

"1 - Aos militantes que infringirem os seus deveres para com o Partido serão aplicáveis as seguintes sanções, por ordem de gravidade:

a) Advertência;
b) Repreensão;
c) Cessação de funções em órgãos do Partido;
d) Suspensão do direito de eleger e de ser eleito até dois anos;
e) Suspensão do direito de eleger e ser eleito, até dois anos, com cessação de
funções em órgãos do Partido;
f) Suspensão da qualidade de membro do Partido até dois anos;
g) Expulsão.

2 - A tipificação das infracções é definida no Regulamento de Disciplina dos Militantes, aprovado pelo Conselho Nacional.
3 - Cessa a inscrição no Partido dos militantes que se apresentem em qualquer acto eleitoral nacional, regional ou local em candidatura adversária da candidatura apresentada ou apoiada pelo PPD/PSD.
4 - O disposto no número anterior determina ainda a suspensão automática e imediata de todos os direitos e deveres de militante, desde o momento da apresentação da candidatura até ao transito de decisão final.
5 - Cessa a inscrição no Partido dos militantes que deixem de satisfazer o pagamento das quotas por período superior a dois anos.
6 - Cessa o mandato dos membros eleitos do Conselho Nacional e das
Assembleias Distritais que faltem injustificadamente a três reuniões seguidas ou a cinco interpoladas.
7 - As sanções previstas nos nºs 3,5 e 6 são declaradas pelo Conselho de Jurisdição Nacional, com base em comunicação da Comissão Política Nacional
e ouvidos os interessados.
8 - A infracção dos seus deveres profissionais por parte dos trabalhadores-militantes
do Partido constitui simultaneamente infracção dos seus deveres de militantes."


Ou seja, o PS tinha uns estatutos menos discricionários. O aviso já lá estava!

António de Almeida disse...

É absurdo andar a alterar a toponímia das localidades, mas também não sou grande adepto de atribuir nomes de pessoas vivas a qualquer equipamento. No entanto, de Norte a Sul, da esquerda à direita, maus exemplos não faltam...

Ferreira-Pinto disse...

António de Almeida, por principio não vejo grande pilhéria em andar a dar nomes de vivos ou vivas a locais do domínio público, mas admito que nalguns casos daí não possa vir mal ao mundo.

Onde moro temos a Avenida Dr. Mário Soares porque, à altura, tinha sido já Primeiro-Ministro e Presidente da República.
Foi aprovado por unanimidade, tendo ficado também consignado em acta que futuramente se seguiria o mesmo critério para quem na vida política depois do 25 de Abril ocupasse os dois cargos. Seguir-se-á, assim, Cavaco Silva. Não me oponho.

Celina disse...

Quando houve o referendo para o aborto, eu já achei mal os panfletos que distribuíam nas igrejas (e sou contra o aborto!), mas isto é vergonhoso! Estado laico, Igreja não partidária. Nem sei o que é pior: isto ou os bispos contra a legalização da UNIÃO DE FACTO entre homossexuais. É que não tem nada a ver com a Igreja! Que mania de ser abelhudo!

Ferreira-Pinto disse...

Celina as coisas, na minha forma de ver, são relativamente claras: a Igreja pode tomar posição em tudo, conquanto o faça em condições tais que permita aos que dela discordem, exercer esse direito nos mesmos locais.

Um padre apelar ao voto no altar dizendo claramente em quem acha que os fiéis devem votar, e eu não sou crente, parece-me ser quase indecente, especialmente porque não me parece que fosse essa a vontade de Cristo!

Celina disse...

Siiiim... pronto tem razão... eles podem opinar... (afinal eu também tou aqui a fazer o mesmo) só que... irrita-me porque não me identifico nada com o que eles defendem! E oh pá quando ouço pessoas falarem de coisas presentes como se vivêssemos no século passado... passo me. EVOLUÇÃO MINHA GENTE!

Ferreira-Pinto disse...

Aí, Celina, estamos de acordo!
Opinar podem, mas que o façam fora da igreja e do púlpito.
Quanto à evolução, enfim ... acho que já percebeste, pelo estudo da História, que a Igreja se move mas muito lentamente!
O pobre do Gioradano Bruno e do Galileu esperaram séculos para que vissem a Igreja admitir o que já todos sabíamos ... que a Terra se move à volta do Sol!

Daniel Santos disse...

Coincidências...

Ferreira-Pinto disse...

Só podem ser, Daniel, isto é lá gente para represálias!