23 abril 2010

Hoje sinto-me... ORGULHOSÍSSIMA POR SER MULHER! ou "igual a todos os dias" ;D

Pois muito bem, se eu não fizer nada por mim, quem o fará? A sociedade não é de certeza. Estes dias vi uma notícia totalmente escandalosa que a mim, como eterna feminista, me deixou fula! Há uns tempos saiu um estudo que explicava a influência que a perseguição por parte da Inquisição sobre as mulheres visionárias da época teve na evolução mental da mulher (e apesar disso não estamos atrasadas! =b). É no que dão as sociedades movidas por ideais masculinos... mas enfim, século XXI e tudo é diferente, certo? ERRADO! Ora cabe na cabeça de alguém que uma mulher (que em média investe mais na sua formação) receba menos que um homem desempenhando ambos as mesmas funções?! Meus amigos: quando eu começar a trabalhar não há caramelo nenhum que se atreva sequer a isto sob pena de levar com uma bela de uma contra-argumentação em cima que, no nosso caso, vale bem mais que dois murros na focinheta.



Caros colegas, leitores e comentadores do blogue que assinam no masculino: desculpem lá o meu desabafo, mas não deu para segurar... mas enfim... ganham mais por resistirem ao impulso de não nos resistirem, não é? Pronto está tudo explicado! xD

4 comentários:

O Guardião disse...

Tá-se bem. Esperemos que para a próxima tenhamos um pouco menos de agressividade.
Bfds
Cumps

Celina disse...

Ahahah eu sei... viro para o lado do nariz empinado e pareço animal a defender o território, mas é no que dá juntar Baile de Finalistas, blogues que só raparigas conseguem apreciar e uma boa dose de irritação provocada não só por masculinidade em geral mas principalmente por uma sociedade presa na idade da pedra e baseada em coisas inexistentes como a superioridade de um género face ao outro. É que entre isto e Hitler vejo poucas diferenças. E a agressividade é algo inerente a mim e talvez me tenha excedido um (bom) bocado, mas tudo isto mexe muito comigo: ser alta é o único pré-requisito para o sucesso que tenho; aproxima-se a universidade e estou a dar em doida porque sou teimosa e quero Psicologia para sempre num futuro que me permita ser a eterna dualidade entre a boa pessoa que segue os seus valores e a c***** que, acima de tudo, quer Break Free. Eh pá desculpem, prometo que é a última vez que escrevo coisas destas neste blogue... só num estado muito anormal eu tornava pública aquela imagem que sim tenho no computador, mas só por causa de um trabalho! :D

Eduardo Miguel Pereira disse...

Posso entrar ? Não me vais espetar dois murros na focinheta ?
Então pronto, já cá estou ... uff !
Acho mal sim senhora, os salários deverão ser nivelados pela função em si e não pelo sexo.
Mas quando chegares ao mercado de trabalho há duas situações com que te vais deparar que, se fores verdadeiramente femininista não te vão agradar. A 1ª tem que ver com as mulheres que, pelo simples facto de o serem, se servem dos seus atributos físicos para fazer carreira. O 2º, e aqui se calhar eu tenho tido azar, mas a verdade é que nos 20 anos de carreira que levo, regra geral, as mulheres quando lhes dá jeito, refugiam-se na "fragilidade" do seu sexo para fugirem com o "rabinho à seringa" em situações de maior aperto de trabalho.

Dito isto, vou-me mas é pirar daqui para fora antes que leve porrada !

Um beijinho Celina.

Celina disse...

Hoje já estou mais calma :D O meu feminismo não é assim tão cego, também me irritam de morte "mulheres" assim, pessoas que não têm verdadeiro orgulho no que são e que conseguem ser tão machistas quanto os homens machistas. Também passei pela fase da super-mulher em que nem admitia que chamassem rapazes para trabalhos pesados, agora vejo as diferenças e apenas quero que elas sejam respeitadas. A essas "mulheres" sim eram umas bofetadas mentais bem assentes... quando as encontrar, transmita o recado, sim? :D

Beijinhos