29 março 2010

Meio torto ou torto inteiro?

O Prémio Pritzker, o mais conceituado galardão de arquitectura do mundo, foi atribuído aos arquitectos japoneses Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa.
O júri elogia o uso que Sejima e Nishizawa fazem da luz e das transparências nos edifícios que desenharam um pouco por todo o mundo - do Japão à Holanda, passando pela Alemanha, Inglaterra, Espanha ou França.
Imagem do New Museum de Nova Iorque (2007), que para mim, que sou um leigo, deve querer representar um monumento á sismologia. Muito provavelmente deve ter sido este um dos fundamentos para atribuição do prémio, sob o tema "qui ça", “Catástrofes Naturais”. Estes Arquitectos estão também a desenvolver o projecto para o pólo multifuncional Serralves 21, que deverá albergar as reservas da Fundação de Serralves. Só não sei quem vai pagar.

5 comentários:

Ferreira-Pinto disse...

Não conheço nem a obra, nem a dupla mas até nem desgosto. Na minha óptica a arquitectura deve ser ousada, inovadora e até relativamente radical sem deixar de ser funcional. E, por acaso, uma das coisas que gosto na arquitectura é o bom uso da luz!

Rui Figueiredo Vieira disse...

O Ferreira Pinto...para isso vamos á casa da música!!!

Ferreira-Pinto disse...

Claro, Rui Figueiredo; antes, que remédio que os tempos não vão de feição e obrigam a muita contenção!

Blondewithaphd disse...

Eu acho giro... (digo eu de mansinho).

Rui Figueiredo Vieira disse...

é...giro!! :-)